top of page

A melhor plataforma para investir nos EUA + Renda Fixa americana

A ideia aqui é apresentar uma alternativa aos fundos cambiais para investir a parcela em dólar do seu portfólio, bem como comparar os custos das plataformas disponíveis para isso.

Ou seja, expor seu dinheiro ao dólar de forma mais eficiente que em um fundo cambial investindo em Renda Fixa nos EUA.


Perspectiva para o dólar


Antes de começar a apresentar estas opções de renda fixa americana, acho importante passar minha perspectiva para o dólar.


Ressalto que não estou muito otimista com o dólar em 2023 e por isso acredito que o valor aplicado em dólar deve ser um investimento mais voltado para a DIVERSIFICAÇÃO E PROTEÇÃO de parcela do patrimônio em moeda forte do que e buscando uma rentabilidade superior.


Até porque em termos de rentabilidade, a nossa renda fixa paga muito mais juros que a dos EUA.


Dessa forma, só valeria a pena ampliar muito a participação do dólar no portfólio, na minha opinião, se a perspectiva do investidor for a de que o dólar vai se valorizar mito mais frente ao real, o que não é o meu cenário base e eu explico os motivos adiante.


Particularmente não acho que o dólar volte a subir com força, ainda mais considerando nossa taxa de juros alta e a consequente entrada de capital estrangeiro por aqui nos juros.


Os gringos colocaram muito dinheiro na nossa bolsa em 2022, contrapondo os saques dos investidores locais como você pode ver abaixo na figura do Poder 360.


Fonte: Poder 360


Ganhando por WO = Motivos que jogam contra uma valorização do dólar frente ao real


Há uma possibilidade de que a entrada de recursos no Brasil continue forte pela tensão geopolítica entre EUA, China e Rússia.


Podemos ter, por um lado, a China diversificando suas reservas globais (o que joga a favor do ouro em detrimento do dólar) e também investindo em outros países como o Brasil.


Além disso podemos também ter investidores que alocam recursos em países emergentes chamados BRICs (Brasil, Rússia, Índia, China) receosos das políticas chinesas e russas optando por investir mais no Brasil por falta de opções melhores.


Um pequeníssimo percentual de recursos globais que migrasse do gigante mercado chinês para o nosso já faria uma grande diferença na entrada de dólares aqui, segurando a cotação.


Outro motivo do qual vejo o dólar como proteção e não como um investimento em si é que a moeda dólar em si não gera yield (diferentemente de títulos como os bonds que falarei em seguida).


Sugestão de quanto aportar em dólar/renda fixa americana


Por isso, antes de falar das opções dolarizadas, ressalto que minha recomendação de alocação para a parcela dolarizada da carteira pode ser encontrada aqui


Fonte: Investe10


Uma alternativa prática para investir na Renda Fixa nos EUA


Pensando em como ampliar o rendimento da parcela dolarizada e de proteção dos seus investimentos, além dos fundos cambiais, sugiro os ETFs no exterior ou os BDRs de ETFs que vou explicar na sequência.


A menos que tenham claramente especificado uma proteção, tal como um hedge cambial, os BDR’s de ETF’s e os ETF’s que seguem índices do exterior tem exposição cambial e por isso são uma opção para dolarizar parte do seu dinheiro.


Lembrando que a renda fixa dos EUA é um dos investimentos com menor risco do mundo, dada a economia forte do país e, portanto, estamos falando de um investimento com baixo risco.


A escala de risco dos investimentos seria como no gráfico abaixo e eu escolhi a renda fixa de curto prazo, com menor risco, dado que estamos justamente falando da parcela de proteção da carteira.



Fonte: Avenue


Ainda assim podemos ter cenários de desvalorização nas cotas dos ETFs e BDRs de ETFs de renda fixa americana em cenários de alta de juros como o que vivemos em 2022, uma vez que diferentemente da renda fixa brasileira, A RENDA FIXA AMERICANA É MAJORITARIAMENTE PREFIXADA.


ETFs ou BDRs de ETF


Os ETFs são mais eficientes tributariamente e em custos que os BDRs, entao a opção depende se você tem ou quer ter uma conta em uma plataforma digital que dá acesso ao exterior.


Para quem já tem ou quer ter uma conta em uma plataforma digital que dá acesso ao exterior, tal como a Avenue, Banco Inter (Apex Clearing), XP Global ou Nomad a melhor alternativa na minha opinião são os ETFs de Renda Fixa comprados nas bolsas dos EUA.


Existem mais de 500 ETFs de renda fixa nos EUA, que é o maior mercado do mundo.


Já os BDRs de ETFs são interessantes pra os investidores que querem rentabilizar seu investimento em dólar como uma opção aos fundos cambiais pela facilidade de aquisição na B3, sem necessidade de uma corretora que lhe dê acesso ao exterior.


Vou mostrar algumas sugestões de investimentos em renda fixa no exterior ETFs e BDR de ETFs na sequência, mas primeiro vou mostrar algumas opções de plataformas que dão acesso ao investimento no exterior e comparar seus custos.


Opções de plataformas para investir no exterior


Ao transferir o dinheiro da sua conta digital para a conta internacional de investimento, você tem dois principais custos e taxas para prestar atenção pois variam ao escolher a plataforma:

1. O Spread cobrado na conversão do câmbio - ao converter reais para o dólar a plataforma cobrará uma taxa, um ágio, que é um percentual a mais do que o dólar comercial no momento da conversão.

2. A corretagem nas compras e vendas dos ativos

Além destes, tem o imposto sobre operação financeira (IOF) de 0,38%, o qual será cobrado em todas as plataformas, obviamente.

A boa notícia é que o IOF do investimento, de 0,38% ou o IOF de 1,1% para a conta corrente é bem menor que o IOF de 6,38% cobrado em compras internacionais com cartão de crédito.

A outra boa notícia é que as plataformas usam em geral a cotação do dólar comercial, que tem cotação mais baixa em relação ao dólar turismo.


Apex Clearing no Banco Inter – A mais barata em custos!



O Banco Inter, que sempre está correndo atras de ampliar o leque de produtos com taxas baixas ou zero para ganhar clientes da concorrência (e não por acaso é uma recomendação minha na carteira de ações) oferece via parceria com a Apex Clearing o acesso as bolsas para investimento no exterior.


O destaque do Inter, como sempre, são os custos, menores que os da concorrência!


O Spread Máximo cobrado pelo Banco Inter é de 0,99% e a Taxa zero de corretagem é zero.


O IOF para os investimentos é de 0,38% (mas o Inter também disponibiliza uma conta corrente em dólar com cartão de débito sem IOF).


Avenue – A pioneira a oferecer o serviço aos brasileiros


A Avenue, fundada por um ex executivo da XP Roberto Lee, foi a primeira das plataformas a disponibilizar ao investidor brasileiro acesso ao mercado externo.


A Avenue tem um plano de corretagem zero com até 3 ordens mensais sem custo, e um plano premium no qual a corretagem varia conforme descrito na imagem abaixo e clicando aqui.


Fonte: Avenue


O spread para realizar o câmbio na Avenue também é variável de 1,75% a 2,5% da cotação do dólar comercial dependendo do valor que você tem em custódia lá.


Fonte: Avenue


Além do spread terá o IOF (imposto sobre operação financeira) que é sempre cobrado em todas as operações de câmbio conforme abaixo:

· Investimentos (ETFs/Fundos e Ações): IOF 0,38% de dólar para real e de real para dólar.

· Investimentos (Criptomoedas): IOF 1,1% de dólar para real e de real para dólar.

· Bancária: IOF 0,38% de dólar para real.

· Bancária: IOF 1,1% de real para dólar.



A Nomad é mais uma plataforma que oferece acesso as bolsas no exterior e informa que não há taxas de corretagem e custódia para investimentos de bolsa nem tarifas para investimento nos fundos selecionados.


Na Nomad o IOF é 1,1% para a conta corrente, que é cobrado apenas na hora de depositar dinheiro na conta, que é a alíquota na compra ou venda de moeda estrangeira.


Para as remessas feitas para a conta de investimento da plataforma o IOF é de 0,38% o IOF.


A compra do dólar também é feita pela plataforma e o spread de câmbio cobrado por ela é igual ao da conta-corrente, de 2% sobre o dólar comercial.




Correndo atras de não perder clientes em meados de 2022 a XP lançou sua plataforma global, mas eu achei que o spread sobre o câmbio e as taxas cobradas são maiores que nas concorrentes.


Na plataforma integrada ao app XP o spread (algo como 2,25% segundo minha pesquisa) e o custo de corretagem – expresso em dólares vai por faixas, que depende do volume financeiro negociado:

Fonte: XP


Atenção: As empresas podem mudar as taxas após a publicação deste relatório, portanto vale a pena verificar na gora do investimento na instituição que você escolher!


Agora vamos entender as opções de investimentos para se expor a renda fixa no exterior:


O que são os Bonds


Os Bonds são a forma mais básica de investimento na renda fixa dos EUA e por meio deles você está emprestando dinheiro para empresas ou instituições financeiras, em troca de ganhar um cupom (juros) pago em geral a cada 6 meses.


Os Bonds tem prazos variados de vencimento, desde custos como menos de 5 anos até mais de 10 anos e podem ser vendidos antes, mas com variação no rendimento.


Você pode comprar o Bonds diretamente por corretoras digitais como as mostradas anteriormente.


A Avenue, por exemplo, tem um valor mínimo de investimento alto de US$10 mil dólares para os Bonds, o que dificulta a compra destes por alguns investidores, por isso eu sugiro os BDRs de ETFs como a forma mais pratica, como você verá abaixo.


O que são ETFs


ETF (Exchange Traded Funds) são fundos de investimentos negociados em bolsa que replicam o desempenho de um índice ou de um fundo.


A vantagem é que com menos capital você consegue maior diversificação em comparação com investir em Bonds.


As bolsas americanas tem mais de 500 ETFs de renda fixa, ou seja, opções e liquidez NÃO FALTAM.


Além da boa liquidez e você investe rapidamente nos ETFs, comprando ou vendendo suas cotas na bolsa, pelo Home Broker, tal como fax para comprar e vender ações.


ETFs de Renda Fixa são fundos de renda fixa negociados em bolsa.


Você pode comprar um ETF de renda fixa do exterior diretamente, por meio das plataformas digitais que dão acesso às bolsas dos EUA e nesse caso o valor mínimo do investimento é bem menor, de apenas US$ 5.


ETFs nos EUA tem isenção de IR para brasileiros


Uma das vantagens de comprar diretamente o ETF numa corretora é que os brasileiros que investem nos EUA tem isenção do IR em vendas mensais de até R$ 35 mil.


Por outro lado, os BDRs de ETFs (opção para comprar na B3) não tem isenção e são sempre tributados em 15% sobre o ganho (ou 20% no day trade).


Outra vantagem dos ETFs sobre os BDRs é a liquidez Enquanto os BDRs serão negociados na B3 apenas pelos brasileiros e por isso tem liquidez menor, os ETFs negociados nos EUA tem liquidez abundante, sendo negociados no maior mercado do mundo em capitalização e número de investidores.


O que são BDRs de ETFs


A principal vantagem do BDR é a facilidade de acesso.


Se você tem e não quer abrir uma conta numa corretora digital que dá acesso ao exterior você pode investir em ETFs por meio dos BDRs de ETF.


Os BDR de ETF (Brazilian Depositary Receipts de ETFs estrangeiros) são ativos emitidos no Brasil que você compra diretamente na B3 e possuem como lastro cotas de ETFs emitidos no Exterior.


Um intermediário (instituição depositária) compra a ação no exterior e emite um recibo para ser negociado no Brasil.


Os BDRs são chamados patrocinados quando a própria empresa emissora faz os esforços para os oferecer na B3 no Brasil ou não-patrocinados quando a iniciativa de oferecer é de terceiros.


Com os BDRs de ETFs você de forma pratica se expõe à variação dos ETFs + cambio, na própria B3 e com ETFs que seguem índices, também estará se expondo a um investimento diversificado.


Portanto, comprando um BDR na B3 você se expõe às variações de preços do ativo comprado (como um ETF) de outros países e à variação do câmbio, sem custos de remessa para o Exterior.


Você compra o dos BDRs de ETF no mercado a vista da B3, o lote padrão é de 1 e o prazo de liquidação é D+2, a partir da data de negociação, tal como ocorre com as ações.


A B3 tem mais de 200 BDRs de ETF listados e você pode saber mais detalhes operacionais e riscos clicando aqui.


Sugestões de BDR de ETFs:


BDR de ETF de renda fixa sugerido de curto prazo:


iShares Short Treasury Bond ETF

Na B3: BSHV39


Este BDR de ETF acompanha o ICE Short US Treasury Securities Index — um índice que acompanha treasuries com vencimento em um ano ou menos o que o torna uma opção menos arriscada.


O ETF que este BDR segue é negociado sob o ticker SHV nos Estados Unidos


Em um ano o ETF SHV (primeiro gráfico abaixo) caiu 0,4% que uma queda pequena comparado com outros investimentos em renda fixa americana de maior prazo, que caíram mais devido à alta de juros por lá e o efeito da marcação a mercado.


Já o BDR BSHV39 (segundo gráfico abaixo) subiu 6,4% deste o início em 17/02/2022, principalmente devido a influência do câmbio, com a alta de 5% do dólar frente ao real desde então.


Fonte: Google


Fonte: Google


O GOVT paga 1,39% de dividendos nos últimos 12 meses, conforme o gráfico abaixo, e os detentores dos BDRs recebem estes dividendos, líquidos de imposto de renda, que tem alíquota de 30% nos EUA.


Além do IR o dividendo vem liquido de IOF (0,38%) e da tarifa de 3% do depositário do BDR, a B3.


Fonte: ycharts


BDR de ETF de renda fixa sugerido diversificado:


iShares US Treasury Bond ETF

Na B3: BGOV39


O BGOV39 ou iShares US Treasury Bond ETF foi disponibilizado a pouco tempo pela B3 para as pessoas físicas, em junho de 2022.


O BGOV39 busca acompanhar a variação do índice IDC US Treasury Core Index que é um índice composto por títulos do Tesouro dos EUA que pondera o peso dos ativos no índice por valor de mercado e tem rebalanceamento mensal.


Dentre a família de BDRs lançados pela gestora BlackRock ele é o mais diversificado e uma única cota já tem a exposição a títulos de curto, médio e longo prazo.


Também é o que tem a menor taxa de administração, de apenas 0,05% e o público-alvo são investidores em Geral


O GOVT paga 1,75% de dividendos nos últimos 12 meses, conforme o gráfico abaixo, e os detentores dos BDRs recebem estes dividendo líquidos de imposto de renda, que tem alíquota de 30% nos EUA, e da taxa do banco B3, de 3%.


Fonte: ycharts


Além do IR o dividendo vem liquido de IOF (0,38%) e da tarifa de 3% do depositário do BDR, a B3.



Fonte: Google e dividendosfiis


Repare que o BGOV39 (gráfico acima) não oscila exatamente como seu índice de referência, o GOVT (abaixo) devido a variação do dólar frente ao real.

O BGOV39 caiu 5% de fevereiro de 2022 a janeiro de 2023 enquanto o GOVT caiu 12%, devido a alta de 5% do dólar frente ao real no período, uma vez que o dólar passou de R$5,17 em 17 de fevereiro de 2022 para R$5,42 em 5 de janeiro de 2023.

Ou seja, o investidor está dolarizando parte do seu patrimônio investindo neste BDR de ETF.


Fonte: Google e dividendosfiis


Materiais adicionais


Se você quer se aprofundar ainda mais sobre o assunto, aqui você pode consultar a lâmina completa do BDR com mais informações, aqui você pode consultar a lâmina da ICE sobre o índice de referência e aqui mais informações sobre o ETF GOVT da BlackRock.


Os ETFs e os BDRs de ETF variam


Atenção para o fato de que sua cotação oscila, tanto pela compra e venda na B3, que influenciado pela marcação a mercado da renda fixa como pelo câmbio.


Portanto, você vai estar se expondo tanto ao rendimento da renda fixa americana como ao câmbio (cotação da moeda de origem vs. o Real) comprando este BDR de ETF.


A marcação a mercado levou queda de mais de 20% em 2022 em alguns títulos de renda fixa nos EUA (da mesma forma como ocorreu no Brasil com as NTN-B e prefixados com a alta dos juros).


Vale lembrar eu nos EUA a maior parte da renda fixa é prefixados, diferentemente do Brasil onde predominam os títulos pós-fixados.


Como mostra o gráfico abaixo o BGOV39 foi lançado no início de 2022 e sofreu com a alta de juros dos EUA ao longo do ano, caindo 5% desde o lançamento em fevereiro de 2023, comparativamente ao dólar e ao nosso CDI.


Fonte: etf.com.vc


Os ETFs de treasuries de curto prazo sofrem menos com a alta dos juros e podem ser um bom instrumento para ter um caixa remunerado em dólar.


Sugestões de ETFs de renda fixa:


Como mencionei são mais de 500 ETFs de Renda fixa listados nos Eua e abaixo mostro algumas opções para você.

Eu selecionei ETFs de curto prazo, que sofrem menos com a variação das taxas de juros.

Nos links abaixo você encontra os títulos divididos por tipos, veja como sofreram mais em média os longos nessa alta de juros:



Vanguard Short-Term Bond Index Fund ETF

NYSEARCA: BSV

O BSV é um ETF muito popular com US$65 bilhões de patrimônio com gestão passiva (que replica um índice) da Vanguard.


Ele procura acompanhar a performance do Bloomberg U.S. 1–5 Year Government/Credit Float Adjusted Index e com isso oferece exposição a títulos de curto prazo com exposição a todos os tipos de bonds dentro de 1 a 5 anos.


O BSV tem pouco risco de juros e crédito em contrapartida de um retorno baixo também o que caracteriza como uma boa opção para quem busca um ETF de menor risco em tempos de alta de juros.


O BSV tem uma taxa total menor que o SHY , de apenas 0,04% e acumula queda de 6% em um ano, devido à alta na taxa de juros dos EUA.

Fonte: Google


Lembrando que os ETFs de renda fixa pagam dividendos e cupons em geral mensalmente, além desta variação da cota e seu retorno em um ano foi de 1,46% em dividendos.


Fonte: ycharts


iShares 1-3 Year Treasury Bond ETF

NASDAQ: SHY

Este é um dos maiores e mais populares ETFs de curto prazo, que compra títulos públicos de menos de 3 anos de prazo.


Fazendo um paralelo com o Brasil seria compra de títulos prefixados de até 3 anos. Lembrando que nos EUA a característica é de a maior parte dos títulos serem prefixados, e, portanto, sofrerem marcação a mercado.


O SHY tem baixo risco de crédito por comprar títulos públicos e menor risco de variação dos juros, por ser de curto prazo


Claro que como contrapartida, ele também tem um relativo baixo retorno.


De qualquer maneira, é um bom ativo para colocar recursos em um momento volátil de mercado como o atual, no qual as taxas de juros estão subindo e causando perdas nos títulos de renda fixa mais longos.


A taxa é baixa, de apenas 0,15% no total que já vem descontado na cota.


Mesmo com risco baixo, perceba que devido à alta dos juros americanos o ETF teve queda de 3,7% em um ano.


Lembrando que a renda fixa tem a “renda” fixa, mas os títulos podem variar: Quando a taxa de juros sobe, os títulos prefixados caem.


Fonte: etftrends


Lembrando que os ETFs de renda fixa pagam dividendos e cupons em geral mensalmente, além desta variação da cota e seu retorno em um ano foi de 1,3% em dividendos.


Fonte: ycharts


Fundos cambiais


Por fim replico as opções que já havia mostrado em termos de fundos cambiais, para quem preferir esta opção para a parcela dolarizada da carteira.


Uma opção mais "fácil", além de comprar propriamente a moeda ou no mercado futuro, é investir num fundo cambial. Pela minha pesquisa, um dos com a taxa mais baixa do mercado é o da Empiricus Investimentos (0,05% ao ano) – Link aqui.


A XP tem um fundo de dólar também, mas a taxa de administração é bem maior, ainda que bem baixa, de 0,5% ao ano – Link aqui.


Praticamente todas as corretoras e bancos tem um fundo cambial de taxa de administração baixa, então provavelmente o de sua escola terá um para você comparar com as taxas acima.


Alguns fundos disponíveis nessa categoria são:

· BB TOP DÓLAR FI CAMBIAL LP

· BRAM DÓLAR FI CAMBIAL

· BRADESCO DÓLAR TOP FI CAMBIAL

· BTG PACTUAL DIGITAL DÓLAR FI CAMBIAL

· ITAÚ FIC CAMBIAL

· SANTANDER FI CAMBIAL.



Conclusão


Agora você já sabe quais as plataformas para investir no exterior com menores custos e também conhece algumas das opções para investir em renda fixa americana por elas, bem como as taxas e riscos envolvidos!


Poderá escolher assim, entre deixar a parcela dolarizada da sua carteira entre um fundo cambial ou investido em ETFs ou BDRs, conforme sua necessidade e escolha, baseado em boas informações sobre as vantagens e desvantagens de cada modalidade.


Abraços


Cristiane CNPI e CGA


05/01/2023



Disclaimer



Exoneração de responsabilidade e informações importantes: Os conteúdos podem mencionar possibilidades de lucro financeiro decorrente de investimento, eximindo-se a analista de qualquer responsabilidade sobre eventuais prejuízos do cliente em decorrência da tomada de decisão deste. Recomendações de investimento mesmo quando são fundamentadas pela avaliação criteriosa de um analista certificado, podem não estar corretas e não antecipar o comportamento dos mercados com exatidão. Padrões, histórico e análise de retornos passados não garantem rentabilidade futura. Todo investimento financeiro, em maior ou menor grau, embute riscos que podem ser mitigados, mas não eliminados. Nunca devem ser alocados em renda variável recursos destinados a despesas imediatas ou de emergência, bem como valores que comprometam o patrimônio do cliente. A analista não realiza intermediações financeiras e não obtém nenhum tipo de receita advinda de comissões, corretagens ou emolumentos sobre montantes aplicados, cabe ao investidor a exclusiva responsabilidade pela execução de operações junto à respectiva instituição financeira na qual possua conta aberta. Os analistas têm, ou podem vir a ter, posições nos investimentos recomendados. O disclaimer não se sobrepõe à legislação e regulamentação vigentes.

ATENÇÃO: Retornos passados não são garantia de retorno futuro. Investimentos envolvem riscos e podem causar perdas ao investidor. Cada investidor deve desenvolver suas próprias análises e estratégias, considerando seu nível de risco e perfil de investidor.

Ao assinar, adquirir ou utilizar quaisquer de nossos produtos ou serviços, você concorda e sujeita-se ao Termo de Uso sem o qual não poderá contratar o serviço:

TERMO DE USO: VOCÊ CONCORDA QUE INVESTIMENTOS ENVOLVEM RISCOS E QUE O MATERIAL DISPONIBILIZADO AQUI NÃO OFERECE GARANTIA DE RETORNO, EXPRESSA OU IMPLÍCITA, CABENDO AO CLIENTE POS SUA OPÇÃO, CONTA E RISCO COLOCAR EM PRÁTICA INVESTIMENTOS BASEADOS EM TAIS INFORMAÇÕES.

Cada investidor deve desenvolver suas próprias análises e estratégias.

Declaração do(s) analista(s) de valores mobiliários(de investimento), nos termos da CVM nº 20/2021

O analista de investimento, ou de valores mobiliários, envolvido na elaboração deste relatório declara que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

1. O(s) analista(s) de investimentos, envolvidos na elaboração deste relatório, não tem vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do relatório de análise. 2.O(s) analista(s) de investimentos, seus cônjuges ou companheiros, podem deter, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, ações e/ou outros valores mobiliários de emissão das companhias objeto de sua análise.

3.Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, podem estar direta ou indiretamente envolvidos na aquisição, alienação ou intermediação dos valores mobiliários objeto deste relatório.

4.Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, podem ter direta ou indiretamente, interesse financeiro em relação à companhia emissora dos valores mobiliários analisados neste relatório.

5.Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, negociam com cotas de fundos de investimento que concentram seus investimentos na companhia analisada ou em seu setor da economia, ou em cuja administração ou gestão podem influenciar, direta ou indiretamente.

As opiniões são individuais do analista a partir da sua percepção e analise, bem como projeções e entendimento e sempre são sujeitos a mudanças acompanhando os fatos. O conteúdo não constitui oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

O analista responsável pela elaboração do conteúdo declara, nos termos do artigo 21 da Instrução CVM nº 20/2021, que suas recomendações refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e são elaboradas de forma independente. Declaração do(s) analista(s) de valores mobiliários (de investimento) envolvidos na elaboração deste relatório, nos termos da CVM nº 20/2021: 1. O(s) analista(s) de investimento, ou de valores mobiliários, envolvido(s) na elaboração deste relatório (“Analistas de investimento”), declara(m) que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente as suas opiniões pessoais sobre as companhias e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, . 2. O(s) Analista(s) de investimento podem see titulares de valores mobiliários objeto do presente relatório.

Os relatórios específicos são de uso exclusivo dos adquirentes e não podem ser reproduzidos ou distribuídos.

A reprodução indevida de relatórios ou trechos está sujeita a multa e demais punições cabíveis, de acordo com artigos 102 e seguintes da Lei 9.610/98.


コメント

5つ星のうち0と評価されています。
まだ評価がありません

評価を追加
RECEBA
O MELHOR
CONTEÚDO DE
INVESTIMENTOS
NO SEU EMAIL

Obrigado(a)!

bottom of page