top of page

Alerta de COMPRA para a carteira INTERNACIONAL!

Como você já deve ter ouvido, os títulos do tesouro americano são considerados muito seguros e por isso muitas vezes a taxa de juros americana serve como referência para uma “taxa livre de risco” na concepção teórica.


Claro que isso é apenas válido na teoria.


Na prática, sabemos que o governo americano tem uma dívida alta e que aumentou significativamente na pandemia , com os incentivos dados para a economia não afundar no lockdown.


Ainda assim, a chance de tomar calote do governo americano é considerada uma das mais baixas do mundo e seus títulos uns dos mais seguros.


Ajuda nisso o fato de serem a maior economia do mundo e deterem a moeda mais forte e aceita atualmente, de forma que os podem literalmente emitir moeda se necessário, para honrar suas obrigações (a famosa impressão de dinheiro)...


Até a impressora dos EUA tem limite!


Nas últimas semanas os EUA tem vivido um momento bastante drástico, com Republicanos e Democratas brigando e não entrando em um acordo para aumentar (mais uma vez, como nos últimos 10 anos ) o teto de gastos e com isso continuar rolando suas dívidas.


Segundo a Secretária do Tesouro dos Estados Unidos Janet Yellen, os recursos dos EUA para continuar fazendo pagamentos de dívidas duram até junho, e se um acordo não for atingido até la (ou seja, muito em breve) um colapso acontece.


Como acho difícil que os EUA colapsem (as chances são de 25% segundo o consenso de mercado), entendo que estamos muito próximos de um acordo para aumentar o teto da dívida e evitar um colapso geral nos EUA.


De qualquer forma, a demora e a dificuldade para entrar em um acordo sobre o teto da dívida estressou os mercados de risco por la, ampliou as taxas exigidas diante de um risco percebido maior, e isso pode ter aberto algumas oportunidades...


A alta de juros nos EUA chegou ao fim?


Você também já deve ter ouvido que as taxas de juros dos EUA subiram muito este ano, para controlar a inflação.


Atualmente as taxas americanas de 10 anos estão na banda de 5%-5,25%, o maior patamar desde 2006, o que é bastante alto para o padrão americano da história recente, como você pode ver no gráfico abaixo:



Fonte: Investing
Fonte: Investing


As taxas subiram para frear a inflação, e isso já mostra sinais como a queda na venda dos imóveis por la...


Não é à toa que o maior risco e temor dos investidores é de uma recessão nos EUA por conta dos juros altos.


Este é um dos motivos pelo qual vários investidores americanos já estão se posicionado para o início da queda nas taxas de juros dos Eua já neste ano, apesar das negativas do FED , seu banco central – é isso que nós vamos começar a fazer na nossa carteira também!


Marcação a mercado nos EUA


Nos Estados Unidos, diferentemente do Brasil, a maior parte dos títulos de renda fixa do governo é PRÉFIXADO, ou seja, paga uma taxa pre definida no momento da compra do título.


Desta forma, quando a taxa de juros sobe, os títulos caem.


Este é o motivo pelo qual quando olhamos os ETFs de renda fixa americana, vermos quedas expressivas. É o efeito da famosa Marcação a mercado.


Veja abaixo a queda expressiva que ocorreu no ETF TLT, que investe em títulos americanos de vencimentos de mais de 20 anos.




Fonte: Google


Como este é um ETF que investe em títulos de longa duração, a marcação a mercado ocorre de forma mais acentuada, da mesma maneira que quando compramos títulos do governo brasileiro de vencimentos longos, como prefixados ou NTNB (inflação).


Em busca da Marcação a mercado positiva !


Se você me acompanha de perto aqui no All In One, sabe que conseguimos fazer compras de NTNB com spreads muito positivos em fevereiro e março, quando lancei alertas.


Naquela época tais títulos (NTNB-45) negociavam em torno de IPCA+6,2%... como o cenário brasileiro melhorou com a expectativa da aprovação do arcabouço fiscal, as taxas reduziram-se no mercado e atualmente encontramos as mesmas NTNB a venda pagando cerca de IPCA+5,8%


Pelo efeito da marcação a mercado, quem comprou os títulos que pagavam mais (IPCA+6,2%), lá em fevereiro, consegue hoje vende-los com uma grande valorização , de forma que o comprador paga um valor maior que garante a ele o recebimento em linha com o atual (IPCA+5,8% por exemplo).


Se este exemplo não ficou 100% claro, clicando aqui você tem mais explicações minhas sobre o funcionamento da marcação a mercado.


A essa altura do relatório talvez você já tenha captado minha intenção com a recomendação de hoje...


Vamos a recomendação de investimentos !


RECOMENDAÇÃO DE COMPRA DO ETF TLT ( iShares 20 Plus Year Treasury Bond ETF)


Sugiro que metade dos recursos investidos no exterior – que é 5% da carteira All In One – seja aplicada no ETF TLT.


Ou seja , a sugestão é colocar 2,5% do seu patrimônio em no ETF TLT

São dois os objetivos deste investimento:


Primeiro objetivo: Marcação a mercado


Tentar capturar a queda de juros americana que deve ocorrer senão este ano, até o final do ano, provavelmente no ano que vem.


No gráfico que eu postei anteriormente, vimos o efeito da alta de juros sobre este ETF (queda de 41%), vou replicar ele aqui embaixo:





Fonte: Google


A ideia agora é se posicionar para capturar a antecipação da expectativa de queda na taxa de juros americana, o que ocasionaria uma consequente marcação a mercado positiva nos títulos em questão.


Segundo objetivo: Manter parte da carteira dolarizada e rendendo


Aproveitar a queda do dólar para comprar investimentos em dólar (no caso dos investidores que ainda não tem parcela dolarizada).


Os ETFs de renda fixa americanos pagam dividendos e você terá renda ao investir nele (falo mais sobre isso na sequência do relatório).


Como comprar o TLT


O TLT é um ETF, ou seja, um fundo negociado em bolsa.



O TLT é negociado na Nasdaq e para investir nele você deve comprá-lo por meio de uma plataforma internacional.



Já adianto que a plataforma internacional do Inter é a que possui o menor spread, de 1% quando você converte reais em dólares, além de não cobrar taxas, sendo a minha preferida.


Também tenho uma parceria com a Nomad (é a segunda melhor opção em taxas, com spread de 2% na conversão do dólar).


Se vocês usarem o cupom INVESTE10 ganham até R$100 na primeira remessa realizada em até 15 dias da abertura da conta por este link


Temos ainda a Avenue e XP que também são boas plataformas.


Sobre o TLT


Você já sabe que o TLT é um ETF negociado na Nasdaq, mas vamos as suas características.

O ETF iShares 20+ Year Treasury Bond procura acompanhar os resultados de investimento de um índice composto por títulos do Tesouro dos EUA com vencimentos remanescentes superiores a vinte anos.


Como você pode ver 98% está em títulos do governo americano e as 10 maiores participações estão abertas no gráfico abaixo, sendo a maior a com vencimento em 2051





Fonte: TLT


Ele é um dos ETFs mais “famosos” e “populares” entre os investidores, existe desde 2002, com um patrimônio de US$37 bilhões.


O fundo é administrado pela BlackRock e cobra uma taxa de administração de 0,15% ao ano.

Ele distribui dividendos mensalmente aos investidores e o retorno está em 3,9% ao ano segundo o pagamento dos últimos 30 dias.


O gráfico abaixo mostra os dividendos anuais históricos




Fonte: StatusInvest


CONCLUSÃO


COMPRAR 2,5% DO PATRIMONIO NO ETF TLT NEGOCIADO NA NASDAQ, VIA UMA PLATAFORMA INTERNACIONAL DE SUA ESCOLHA


Com o objetivo de ter exposição a títulos do Tesouro dos EUA de longo prazo e buscar obter ganho com a marcação a mercado em caso de queda nas taxas de juros americanas a partir do final de 2022 ou em 2023.



423 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
RECEBA
O MELHOR
CONTEÚDO DE
INVESTIMENTOS
NO SEU EMAIL

Obrigado(a)!

bottom of page