top of page

MARCOPOLO COMEMORA A VOLTA POR CIMA | VALE A PENA EMBARCAR NA AÇÃO? POMO4/POMO3

Ontem tivemos o Marcopolo Day onde a empresa nos contou sobre os frutos da reestruturação que vez após a pandemia.


O mercado de ônibus rodoviários que era o principal da empresa secou no Covid com a pausa no turismo por quase dois anos.


A partir da necessidade, a Marcopolo mudou desde sua forma de pensar e até o CEO em uma passada de comando bem sucedida.


No extremo, tiveram que fechar as fábricas por um mês e negar pedidos para se reposicionar, passando uma mensagem para o mercado sobre o que seriam preços sustentáveis de vendas.


a marcopolo deu a volta por cima!

No meio da tempestade, lançaram a nova geração top de ônibus, o G8, um sucesso de vendas com maior valor agregado, preços e margens sendo 70% da carteira de ônibus de dois andares.


Atualmente estão com margens melhores que o histórico e que a empresa diz que tudo indica no momento que as margens deve permanecer assim saudáveis, já que os ônibus rodoviários, que tem uma margem maior, já voltaram a ser 40% do mix de produtos dela.


Fonte: Marcopolo
Fonte: Marcopolo

Veiculo elétrico próprio é a grande novidade


Além do encarroçamento de ônibus elétricos em chassi de parceiros, lançaram um onibus elétrico integral com chassi próprio, “de prateleira” que já roda em várias cidades brasileiras, o Marcopolo Attivi,


Este veículo tem um futuro promissor, e é um desafio da empresa se posicionar sem concorrer com seus clientes.


Também não podemos esquecer do Volare, veículo completo único criado pela Marcopolo, vendido em 48 concessionarias que é líder absoluto no segmento de micro onibus no Brasil.


No exterior, as vendas aumentaram em 57% em 2022 frente a 2021 e os fortes prejuízos durante a Covid foram equacionados e se converteram em lucros, como mostrado no gráfico abaixo:

Fonte: Marcopolo
Fonte: Marcopolo

Por fim, a empresa teve recorde de entregas no programa governamental Caminho da Escola: O edital publicado em 28/08/2023 prevê 16300 unidades e pregão no dia 12/09.


A Marcopolo participa do programa desde 2007 e espero que mantenha um market share de cerca de 60% nesta licitação do programa.


2024 deve ser melhor


A empresa enxerga 2024 ainda melhor que 2023. E os motivos são:

· Inflação de matéria prima sob controle,

· Início da queda de juros

· Turismo em alta

· Transição odo Euro 6 superada

· Revitalização e transporte público

· Renovação com a entrada de veículos elétricos nas cidades

· Licitação maior do Programa Caminho da Escola


Rentabilidade


A meta de Ebitda de 12% já foi praticamente atingida no 2T23 e agora conseguem enxergar margens até maiores que isso


Fonte: Marcopolo
Fonte: Marcopolo

Quando o olhamos o retorno sobre o capital investido (ROIC), no entanto, ainda está abaixo da Selic , o que muda com uma Selic mais baixa e resultados melhores como estamos vendo.


Fonte: Marcopolo
Fonte: Marcopolo


alguns gatilhos para o case da marcopolo


  • A empresa tem muitos impostos a recuperar no balanço que podem ser monetizados ao longo dos próximos meses com os resultados melhores


  • A Marcopolo tem R$50 milhões que podem ser vendidos e liberar caixa adicional se forem vendidas algumas fábricas como a de Três Rios e Planalto.


  • A dívida liquida está em apenas 0,6 vezes Ebitda atualmente, em nível muito confortável e a Marcopolo estuda voltar a ter uma remuneração trimestral.

Fonte: Marcopolo
Fonte: Marcopolo

Mercado Interno


O mercado brasileiro de onibus está experimentando um crescimento acentuado nesta metade de 2023, pela necessidade de renovação de frota, pelo programa Caminhos da Escola e pelo turismo represado pós pandemia, com preço alto das passagens aéreas.


A pandemia aqueceu o volume de onibus de fretamento, comprado por empresas para transportar trabalhadores e isso se mantem aquecido pelos negócios de agronegócio e mineração.


A participação de mercado da Marcopolo no mercado brasileiro varia de 50 a 55% nos últimos anos e atualmente está em 53%.


Operações Internacionais


35% da receita da Marcopolo vem do exterior, seja de exportações ou de fábricas e operações internacionais.


As operações e fabricas internacionais são 67% da receita no exterior da Marcopolo e vem principalmente da operação da Australia que representa 37% seguida pela planta no México (28%) e na Argentina que representa 25% da receita de operações internacionais.


As exportações são 33% da receita no exterior da Marcopolo, que é responsável por metade das exportações de ônibus do Brasil: 84% das suas exportações vão para a America Latina e 15% para a África.


Fonte: Marcopolo
Fonte: Marcopolo

A empresa está buscando parceiros para entrar e aumentar participação em ônibus elétricos no exterior.


Olhando as operações no exterior a África o México apresentam bons resultados e boas perspectivas e a Colômbia e Argentina seque recuperando rapidamente os resultados com o consumo de carteira e repasse de preços.


Já a Australia tem um cenário desafiador nos próximos meses.


Valuation e preço alvo! Afinal, vale a pena investir na Marcopolo?


De fato, vemos uma melhora muito significativa nos resultados da Marcopolo nos últimos trimestres e anos.


Este é o motivo das ações terem se valorizado bastante e serem destaque nas maiores altas da bolsa nos últimos meses.


Continuo projetando uma contínua expansão de vendas e produção , que você pode ver nos gráficos abaixo da projeção, com a necessidade de renovação de frota, queda d e juros e programa caminhos da escola.


Tivemos também uma melhora significativa de margens nos últimos trimestres e eu incorporei a manutenção destas margens mais altas no meu modelo, como você pode ver no gráfico abaixo, de forma a verificar se estas premissas gerariam um preço alvo maior para a ação.


Conclusão: Vale investir ou não na POMO3 ou POMO4 – Múltiplos e preço alvo


Após a alta de mais de 100% desde as mínimas, os múltiplos da Marcopolo já estão um pouco altos na minha opinião , considerando om múltiplo de 9 vezes EV/Ebitda estimado para este ano – veja no gráfico abaixo.



Olhando o preço atual, após as altas, me parece que a ação já está bem precificada e eu encontro um upside de cerca de 16% e um preço justo de R$7,5, no qual não enxergo tanta margem de segurança como para outros ativos da nossa carteira recomendada.


Reconheço que o momento da Marcopolo é positivo, após as melhorias na gestão e turnaround pós sofrer bastante com o covid e a interrupção das viagens de ônibus.


Mas, no preço atual, entendo que boa parte deste cenário positivo já está incorporado no preço da ação.


Com os múltiplos mais altos de Marcopolo, e pouca margem de segurança ou upside nas ações considerando as margens atuais, prefiro permanecer em players do setor automotivo com o a Tegma (TGMA3) a qual tenho recomendada na carteira All In One.


Para fins de comparação abaixo coloco uma tabela onde mostro que o múltiplo EV/Ebitda da Tegma é menor que o da Marcopolo (ou seja, a ação é mais barata neste quesito).


As margens de Tegma são maiores e a rentabilidade por ROIC também, bem como seus proventos.


Por conta disso, permaneço com Tegma na carteira em detrimento da Marcopolo neste momento

Fonte: Investe10
Fonte: Investe10

Abraços

Cristiane Fensterseifer, CNPI, CGA, consultora CVM

06/09/2023

191 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
RECEBA
O MELHOR
CONTEÚDO DE
INVESTIMENTOS
NO SEU EMAIL

Obrigado(a)!

bottom of page