top of page

(Mais de) Uma mina de ouro ! Vale a pena investir em Aura Minerals (AURA33, ORA)?!

Você sabe que sempre temos de manter aquela proteção para o caso de algum problema.


A small cap Aura, combina 3 características interessantes ao mesmo tempo:


#1: O crescimento

Temos o crescimento clássico e esperado de uma empresa de menor tamanho que está ganhando corpo.

Os lucros de AURA33 têm crescido a uma taxa anual de ‎+121,61%, As receitas têm crescido a uma taxa anualizada de ‎+113,79% nos últimos 4 anos. 

A empresa tem um plano agressivo de expansão para quase dobrar a produção nos próximos anos

Ao aumentar a produção, empresas de ouro são mais bem precificadas pelo mercado em termos de Valor de Mercado/Ativos (EV/NAV) o que amplia mais as chances de valorização da ação


#2: A indexação ao ouro e ao dólar:

Como consequência natural de sua atividade a Aura Minerals Inc é uma produtora de ouro e cobre.

ouro é considerado por muitos como um “porto seguro” no mercado financeiro mundial.

 

1.     Reserva de Valor: O ouro é tradicionalmente usado como reserva de valor. Ele preserva o poder de compra ao longo do tempo e é considerado uma alternativa segura em momentos de crise e alta da inflação.

 

2.     Proteção contra Crises Financeiras: Em períodos de incerteza econômica, como a pandemia de coronavírus, os investidores tendem a buscar o ouro como proteção. Durante a crise do subprime em 2007 e o ataque às Torres Gêmeas em 2000, o ouro também se valorizou.

 

3.     Diversificação: Ter ouro em sua carteira diversifica seus investimentos e reduz o risco. Ele não está diretamente correlacionado com outros ativos, como ações ou títulos.

 

4.     Liquidez Internacional: O ouro é amplamente negociado internacionalmente e tem alta liquidez. É usado como reserva de valor por muitos bancos centrais.

5.     Potencial de Valorização: A escassez e as múltiplas utilizações do ouro podem levar a valorizações. Em 2020, o ouro subiu 56% devido à incerteza econômica e programas de estímulo.

 

#3: Altos proventos

A Aura tem retornado valores altos em proventos e também em recompras de ações.


O retorno em proventos passado e estimado é de cerca de 8% ao ano, acima da média do setor.

 

(Mais de) Uma mina de ouro !


A Aura é listada como ORA na  bolsa de Toronto (TSX) e AURA33 na B3, por isso você verá eu referenciar os dois códigos nessa análise. 


A empresa a mina de ouro San Andres em Honduras, a mina de ouro Ernesto/Pau-a-Pique no Brasil e a mina de cobre-ouro-prata de Aranzazu no México.


Além disso, a tem dois projetos de ouro adicionais no Brasil, Almas e Matupá, e um projeto de ouro na Colômbia, Tolda Fria.

 

Por sinal, em menos de um ano de operação, Almas já opera que já opera em plena capacidade, acima do esperado.

 

A Aura está agora em meio ao início de produção comercial de Almas, e início da construção do projeto Borborema.

 

A empresa divulgou Estudo de Viabilidade do Projeto Borborema, no Rio Grande do Norte, mina de ouro a céu aberto com uma produção prevista de 748 mil onças (oz)  e vida útil de 11 anos.

 

Borborema terá investimentos de US$ 188 milhões e pode ser transformadora para a empresa pelo seu tamanho:


Resultados do 4T23

Recentemente a Aura divulgou resultados e aqui vou comentar os principais pontos.


Começando pelo principal: A manchete (abaixo) não foi boa , mas veremos que em uma segunda analise isso não quer dizer quase nada.



Ocorre que os resultados OPERACIONAIS da empresa foram muito saudáveis.


O lucro bruto foi de US$ 40 milhões no 4T23 maior em 29% na comparação com o 4T22.


A margem bruta foi de 32,3% no 4T23, alta de 2,8 p.p. frente a margem do 4T22.


O Ebitda ajustado foi de US$ 41 milhões no 4T23, alta anual de 12% frente ao 4T22, com o aumento do volume produzido em três das quatro minas em operação e por um preço do ouro maior.


A receita líquida somou US$ 124 milhões no 4T23, crescimento de 18% na comparação com o 4T22.


O volume produzido no 4T23 chegou a 69 mil onças equivalentes, contra 68 mil GEO um ano antes.


O que aconteceu com o lucro? Porque a empresa teve prejuízo?


A Aura no 4T23 registrou prejuízo  de US$ 6 milhões. No ano, teve lucro líquido de US$ 32 milhões, queda de 51% (muito impactado pelo prejuízo do 4T).


Bem, a Aura está desenvolvendo novos ativos, o que é ótimo e graças a eles teremos crescimento futuro, se as coisas andarem como o planejado.


Como os ativos em desenvolvimento são minas de ouro que necessitam investimentos, a empresa faz um hedge, ou seja, trava o preço de venda de parte da produção para garantir que caso a cotação do ouro caia muito, os investimentos não sejam prejudicados com isso.


E foi exatamente isso - o impacto negativo da valorização do ouro na estratégia de proteção (“hedge”) adotada pela Aura - que fez ela ter um prejuízo, mas este prejuízo no 4T NÃO REPRESENTOU UMA SAIDA DE CAIXA, NEM UMA DETERIORAÇÃO DO RESULTADO OPERACIONAL.


O prejuízo se deu pela despesa financeira maior, pelo efeito do hedge DE PROTEÇÃO CONTRA A QUEDA DO PREÇO DO OURO, em um cenário onde o preço do ouro SUBIU em vez de cair (caso para o qual o hedge existia para proteção).

Devido à forte valorização dos preços do ouro entre o final do 3T23 e o 4T24 o hedge fez a despesa financeira liquida ficar negativa em US$ 42 milhões no 4T23, com o resultado do hedge de Comendo quase todo o lucro operacional da empresa.


O gráfico abaixo mostra como o Ebitda de US41 milhões virou um prejuízo de U$6 milhões  pelo hedge , mas seria um lucro ajustado de U$22 milhões.

Como a cotação do ouro subiu a Aura teve de PROVISIONAR uma despesa financeira, mas que não representa uma saída de caixa, pois isso só ocorreria se o preço continuar assim no futuro, até o final dos contratos de hedge (proteção).


Aura não espera, com base nos preços atuais do mercado de ouro, que essa perda não monetária se traduza em uma perda monetária no futuro, uma vez que (a) os preços máximos para o hedge de Borborema esta fixados em US$2.400 / onça , bem acima do preço atual e os de Almas estão acima do preço spot, com teto de preço médio ponderado a US$2.442 /onça e a Aura pretende manter todas as posições de derivativos até o vencimento.


Baixo endividamento e geração de caixa saudável : Dividendos e aquisições !


A dívida líquida da Aura caiu de US$ 112 milhões do 3T23 para US$ 85 bilhões no 4T23.


O indicador de alavancagem dívida líquida/Ebitda, CONTINUA EXTREMAMENTE FAVORÁVEL em 0,64x em dez/23 o que a permite realizar novas aquisições.


No seu Dia do Investidor a Aura falou que está em busca de fusões e aquisições para aumentar a produção acima de 450 kGEO até 2025 e teria cerca de 20 ativos na mira sendo analisados.


Os ativos podem ser de ouro ou cobre, atualmente cerca 30% dos resultados, preferencialmente localizado nas Américas e já operacional, dado que a Aura está desenvolvendo projetos em Borborema e Matupá.


A administração estima que, mesmo com os alvos para compra a alavancagem continue menor que 1,5x dívida líquida/EBITDA.


Perceba que do atual endividamento de 0,6x até 1,5x dívida líquida/EBITDA temos bastante espaço para aquisições e investimentos.


Perspectivas favoráveis para 2024

Com o início de recuperação da curva de produção a partir do meio de 2024 a Aura projeta produção maior em 2024, entre 244 mil onças e 292 mil onças.

Com isso a previsão é que a receita e o lucro por ação (LPA) continue subindo nos próximos anos acompanhado ao produção maior.


Comparação com pares internacionais

Em se tratando de uma produtora de ouro, não temos pares listados na B3, mas temos vários no exterior , os quais comparam-se com a Aura, aqui mostrados pela ORA , listada no Canada.


Considerando o luco ajustado de US$22 milhões no 4T23 anualizado e o valor de mercado de U$609 milhões, temos um P/L anualizado de apenas 7 vezes, que cai para os 6x estimados em 2024 com o crescimento da produção esperada.


O P/L futuro estimado de 6 vezes de Aura é menor que o dos players comparáveis no exterior (eixo X do gráfico abaixo), enquanto o seu crescimento de receita é um dos maiores do setor (tamanho da bolha).


A empresa negocia com um EV/Ebitda de apenas 3,6 vezes, o que é um patamar razoável para seu setor.



CONCLUSÃO:


A Aura (AURA33) tem recomendação de compra, com preço estimado de 11 dólares para as ações ORA, listadas no canada, o que confere um upside de 30%.

O MESMO UPSIDE PODE SER CONSIDERADO PARA A AURA33


Alem disso a Aura tem um retorno de proventos esperado de 8% para 2024 o que a mantem como uma excelente pagadora de proventos esperados.

 

 



QUADRO DE AVISOS:


 
 

 

OFERTA PLATAFORMA INVESTING.COM !


USE MEU CUPOM CRISPRO NO SITE ABAIXO PARA GARANTIR ATÉ 50% DE DESCONTO




 

Abraços

Cristiane Fensterseifer – CNPI, CGA e consultora CVM

Instagram : @crisinveste

Twitter : @crisinveste

WhatsApp: 51 992017563

22/02/2024

 






338 visualizações1 comentário

1 Comment

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Rated 5 out of 5 stars.

DEIXE SUA AVALIAÇÃO E COMENTÁRIO ! VOU ADORAR RESPONDER !


:)😁

Like
RECEBA
O MELHOR
CONTEÚDO DE
INVESTIMENTOS
NO SEU EMAIL

Obrigado(a)!

bottom of page