top of page

Quero- Quero: É hora de comprar?




A empresa sobre a qual vou falar hoje eu considero um case de sucesso quando pensamos no longo prazo.


A Quero-Quero é uma boa empresa, com histórico formidável e uma boa ação para o longo prazo, com ventos opostos à sua ação atualmente, como veremos aqui.


O que busca o investidor de varejo? Crescimento


Casos de varejo são tipicamente investimentos que tem como foco o ganho no longo prazo, acompanhando a expansão de vendas destas empresas.


Quando pensamos em cases de sucesso de varejo, vemos que algumas ações de empresas deste ramo acompanharam de perto a expansão do numero de lojas das companhias, por exemplo.


Abaixo exemplifico isso com os cases da Renner e Droga Raia, dois exemplos emblemáticos cujas ações valorizaram-se com o crescimento destes negócios.


A figura abaixo mostra a expansão no numero de lojas da Renner e a evolução de suas ações:


Fonte: Renner e Investing


Quem é a Quero-Quero


A Quero- Quero é uma varejista de materiais de construção e eletrodomésticos.


A empresa combina crescimento típico de varejo — via abertura de lojas - e resiliência, visto que seu consumidor tem a renda fortemente conectada com o agronegócio do interior dos Estados, um perfil menos afetado pelas crises econômicas e com menor concorrência.


Quando analisamos os concorrentes, verificamos que nenhum tem no seu modelo o perfil de loja pequena para atuar nas cidades do interior, como ocorre com a Quero-Quero:



Fonte: Quero-Quero


A Quero-Quero é a maior rede do Brasil neste segmento, em número de lojas e seu modelo de atuação permite que a empresa chegue em cidades menores onde as grandes redes, com modelo de lojas grandes, não seria rentável.


Fonte: Quero-Quero


A Quero-Quero está em franca expansão geográfica, subindo o país pelo interior dos Estados.


A presença hoje no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná será ampliada nos próximos anos para o Mato Grosso do Sul e São Paulo.


A empresa pode triplicar seu tamanho apenas em abertura de lojas, como indica seu plano abaixo. O plano da empresa é de passar da presença atual em 404 cidades para mais de 900.


Fonte: Quero-Quero


A empresa deve abrir de 70 a 100 novas lojas por ano, para atingir este plano de crescimento.

Fonte: Quero-Quero


Como consequência da abertura de lojas acelerada a empresa tem vendas em mesmas lojas (sss) alto. Este indicador mede quanto a mais venderam as lojas já existentes há doze meses.


O indicador sss é um dos mais observados pelos analistas no setor de varejo e subiu 27,6% no 2T22 e 29,5% no 1T22 quando comparado ao pré pandemia (2019).


O sss (same store sales ou vendas em mesmas lojas) da Quero-Quero deve se manter elevado, como é o seu histórico mostrado no gráfico abaixo, pelo efeito da maturação das lojas.


Fonte: Quero-Quero


Porque as vendas em mesmas lojas da Quero-Quero devem continuar altas?


Pois no primeiro ano uma loja nova vende cerca 50% do que vende uma loja madura e atinge potencial e cresce de forma acelerada até atingir seu potencial pleno de vendas, em cerca de seis anos.


Portanto a quantidade de lojas abertas nos últimos anos e que ainda não está madura deve ajudar a manter o crescimento da Quero-Quero alto nos próximos anos, dado que aproximadamente 25% das suas lojas têm menos de 2 anos.


A empresa abriu 14 novas lojas no 2T22, totalizando 28 aberturas no 1S22 e 493 lojas no total.


Uma empresa de controle difuso


Em termos de controle, a Quero-Quero é uma corporação com controle difuso e presença significativa de fundos entre os maiores acionistas tal como a Renner. A tabela abaixo mostra os fundos com maior posição na empresa.


Fonte: Quero-Quero


A companhia seguirá a estratégia implementada pela renomada gestora de private equity Advent, nos seus 12 anos como investidora.


Seu CEO, Peter Furukawa, com larga experiência em liderança em empresas como Submarino, Pernambucanas e McKinsey, veio para a empresa nos anos de gestão pela renomada companhia de private equity Advent e realizou todo trabalho de crescimento acelerado desde então.


A Quero-Quero continua ganhando mercado:


Além do crescimento do varejo no país, as empresas destacam-se pelas suas virtudes próprias, o que vemos no ganho de market share.

No caso da LJQQ a companhia tem conseguido ganhar share, como podemos ver no gráfico abaixo:


Fonte: Quero-Quero


Este ganho de participação de mercado tem como motivo para além da abertura de lojas a melhoria no serviço, e temos como realizações da empresa.


1) A melhora na logística:


Atualmente a empresa oferece garantia de entrega no prazo ou produto de graça (Programa Palavra) e até sua menor loja, em uma cidade de 5.000 habitantes, recebe cargas do centro de distribuição duas vezes por semana.


A empresa inaugurou dois novos centros de distribuição em 2021 para propiciar a entrega rápida também nas novas cidades de SP e ampliou em três vezes sua capacidade de armazenamento, com distância entre CDs e lojas atendida 22% menor.


2) Aumento nas vendas com o digital


Outro projeto importante é o Figital, com vendas digitais que já são 18% das vendas totais.

Fonte: Quero-Quero



O projeto Figital (união do físico com o digital) está totalmente implementado e aumentou os SKUs (diversidade de itens a venda) para 25 mil.


Este projeto possibilita aos consumidores comprarem itens que eles não encontram nas pequenas cidades, pela limitação de estoque e capital de giro de lojas menores nestas localidades.


Tive a oportunidade de conhecer a loja infinita da empresa, onde o consumidor tem uma experiencia real de passeio enquanto funcionários retiram dúvidas em real time. Você pode conhecer clicando aqui.



Fonte: Quero-Quero



3) A melhora nas lojas já existentes


As reformas e mudanças de modelo ampliam em até 20% as vendas daquela unidade.

O gráfico abaixo mostra quantas lojas de cada tipo a Quero-Quero possui atualmente:


Fonte: Quero-Quero



4) A expansão na concessão de crédito (VerdeCard)


Crédito é algo que pequenos lojistas não conseguem oferecer e um diferencial grande da Quero-Quero nas cidades pequenas.


A seu cartão de crédito, de bandeira VerdeCard, é responsável por 60% das vendas totais, sendo que 30% são pagas à vista e apenas cerca de 10% com outras bandeiras, como Visa e Mastercard.


Desta forma, cerca de 20% da receita total da empresa vem de serviços financeiros.

O atraso sobre a carteira VerdeCard foi de 12% ao final do 2T22 e está estável e controlado frente ao histórico.


A tendencia é vermos o crescimento da carteira de crédito maior que a do varejo com maior repasse dos juros mais altos.



Fonte: Quero-Quero


O resultado financeiro, que reduziu sua expansão na pandemia. Devido a uma estratégia de maior conservadorismo da empresa diante daquela situação, deve voltar a acelerar nos próximos anos.


Avaliação da empresa


Como consequência da abertura de lojas e do ganho de market share esperado, bem como do crescimento de vendas em mesmas lojas, devido a elevada base de lojas recém abertas em maturação estimo crescimento de receitas


Em termos de margens, a empresa acredita que a margem bruta de 40% é uma margem razoável de longo prazo, e incrementos de margem Ebitda podem ocorrer com maior eficiência e crescimento de vendas diluindo despesas, o que chamamos de alavancagem operacional.


Fonte: Quero-Quero


No 2T22 as despesas cresceram 6,4% frente ao 2T21, abaixo da inflação, possibilitando esta eficiência.



Para abrir uma loja nova, o investimento é baixo, cerca de R$ 400 mil reais de Capex e R$ 150 mil reais de capital de giro, o que faz o ROIC (retorno sobre o capital investido) histórico da empresa ser positivo e alto, acima da Selic.


Fonte: Quero-Quero


No 2T22 a dívida líquida ajustada da Quero-Quero era de R$231 milhões, com alavancagem financeira de 1,6 vezes seu Ebitda ajustado dos últimos 12 meses.

A empresa atualmente negocia com grande desconto, abaixo do P/E médio do varejo de empresas com alto desempenho e crescimento, conforme mostram os gráficos abaixo.


Fonte: Companhias e projeções próprias

Fonte: Companhias e projeções próprias


No entanto, o cenário macro difícil, em um negócio de margem liquida historicamente apertada, vem impedindo a mesma de ter lucro na operação como podemos ver no gráfico abaixo:



Fonte: Quero-Quero



Riscos do investimento


Sempre importante lembrar , os riscos do seu case são ligados ao desenvolvimento econômico do país, com PIB e juros influenciando o varejo, bem como a renda dos consumidores e o investimento em construção civil; ainda assim, o posicionamento da empresa no interior dos Estados, com muito mais influência do agronegócio na renda da população confere uma resiliência adicional ao seu negócio.


Conclusão e recomendação:


Como a empresa está inserida na economia, não podemos descartar que seu movimento em bolsa e dos seus resultados depende disso.


Ao analisarmos as métricas abaixo, vemos que vários itens não estão ajudando seu segmento atualmente e este é o motivo de o curto prazo não ser tão promissor para suas ações e por isso ela não estar nas carteiras recomendadas atuais.


A recomendação para quem detém a ação é de manter, pela qualidade de seu negócio, mas ela ainda não entrará na tabela e carteira recomendada para compra e novos aportes nesse momento, e estarei acompanhando o desempenho da empresa e dos itens abaixo nos próximos trimestres para eventualmente mudar esta recomendação.


• Inflação – poder de compra: Neste quesito vemos um cenário de deflação no país, tanto por redução de impostos sobre itens essenciais, como no caso do ICMS sobre a gasolina, como pela redução de preço de commodities internacional.


• Juros – parcelamento e condições de compra: Os juros subiram muito no Brasil, o que ocasionou tanto uma desvalorização nas ações das empresas em bolsa, como prejudica o apetite e o crédito do consumidor. A expectativa é que os juros no Brasil voltem a cair a partir do meio de 2023. Os juros mais altos também atrapalham a venda de imóveis o que prejudica a venda de produtos para reformas e acabamentos e de eletrodomésticos.


• PIB do país: Verificamos que o PIB brasileiro vem superando as expectativas a cada divulgação, o que é positivo para as empresas.


• Renda e emprego: Aqui as notícias são positivas, com aumento do emprego nos últimos dados, ainda que a renda esteja pressionada pela alta da inflação.


• Desempenho do agronegócio: como a Quero-Quero atua no interior dos estados, a evolução do agronegócio também é muito relevante para a renda destes locais.

Carteiras recomendadas !!


Abaixo você encontra todas as carteiras recomendadas, na sua versão mais atualizada:



Carteiras sugeridas:

Sugestão de alocação em renda fixa:



Carteira de dividendos





Carteira de ações completa


Recomendo sempre uma carteira bem diversificada de ações de diversos setores e empresas, uma vez que ações já possuem risco elevado na matriz de riscos.


A carteira abaixo contém minhas ações preferidas para novos aportes, considerando os potenciais de valorização e teses das empresas.


A carteira abaixo é completa, no sentido de possuir empresas large caps, microcaps e ações de dividendos. Abrangendo, portanto, todo o tipo de ações.

Você pode ler mais sobre como distribuir seus investimentos de acordo com o risco de cada tipo de ativo no nosso relatório aqui)





Lembre-se que retornos passados não são garantia de retorno futuro, investimentos envolvem riscos e podem causar perdas ao investidor.

Cada investidor deve desenvolver suas próprias análises e estratégias, considerando seu nível de risco e perfil de investidor.

Grande Abraço,

Cristiane Fensterseifer, CNPI, CGA - 29/09/2022








Disclaimer

Exoneração de responsabilidade e informações importantes:

Os conteúdos podem mencionar possibilidades de lucro financeiro decorrente de investimento, eximindo-se a analista de qualquer responsabilidade sobre eventuais prejuízos do cliente em decorrência da tomada de decisão deste. Recomendações de investimento mesmo quando são fundamentadas pela avaliação criteriosa de um analista certificado, podem não estar corretas e não antecipar o comportamento dos mercados com exatidão. Padrões, histórico e análise de retornos passados não garantem rentabilidade futura. Todo investimento financeiro, em maior ou menor grau, embute riscos que podem ser mitigados, mas não eliminados. Nunca devem ser alocados em renda variável recursos destinados a despesas imediatas ou de emergência, bem como valores que comprometam o patrimônio do cliente. A analista não realiza intermediações financeiras e não obtém nenhum tipo de receita advinda de comissões, corretagens ou emolumentos sobre montantes aplicados, cabe ao investidor a exclusiva responsabilidade pela execução de operações junto à respectiva instituição financeira na qual possua conta aberta. Os analistas têm, ou podem vir a ter, posições nos investimentos recomendados. O disclaimer não se sobrepõe à legislação e regulamentação vigentes.

ATENÇÃO: Retornos passados não são garantia de retorno futuro. Investimentos envolvem riscos e podem causar perdas ao investidor. Cada investidor deve desenvolver suas próprias análises e estratégias, considerando seu nível de risco e perfil de investidor.

Ao assinar, adquirir ou utilizar quaisquer de nossos produtos ou serviços, você concorda e sujeita-se ao Termo de Uso sem o qual não poderá contratar o serviço:

TERMO DE USO: VOCÊ CONCORDA QUE INVESTIMENTOS ENVOLVEM RISCOS E QUE O MATERIAL DISPONIBILIZADO AQUI NÃO OFERECE GARANTIA DE RETORNO, EXPRESSA OU IMPLÍCITA, CABENDO AO CLIENTE POS SUA OPÇÃO, CONTA E RISCO COLOCAR EM PRÁTICA INVESTIMENTOS BASEADOS EM TAIS INFORMAÇÕES.

Cada investidor deve desenvolver suas próprias análises e estratégias.

Declaração do(s) analista(s) de valores mobiliários(de investimento), nos termos da CVM nº 20/2021

O analista de investimento, ou de valores mobiliários, envolvido na elaboração deste relatório declara que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma.

1. O(s) analista(s) de investimentos, envolvidos na elaboração deste relatório, não tem vínculo com pessoa natural que trabalha para o emissor objeto do relatório de análise.

2.O(s) analista(s) de investimentos, seus cônjuges ou companheiros, podem deter, direta ou indiretamente, em nome próprio ou de terceiros, ações e/ou outros valores mobiliários de emissão das companhias objeto de sua análise.

3.Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, podem estar direta ou indiretamente envolvidos na aquisição, alienação ou intermediação dos valores mobiliários objeto deste relatório.

4.Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, podem ter direta ou indiretamente, interesse financeiro em relação à companhia emissora dos valores mobiliários analisados neste relatório.

5.Os analistas de investimento, seus cônjuges ou companheiros, negociam com cotas de fundos de investimento que concentram seus investimentos na companhia analisada ou em seu setor da economia, ou em cuja administração ou gestão podem influenciar, direta ou indiretamente.

As opiniões são individuais do analista a partir da sua percepção e analise, bem como projeções e entendimento e sempre são sujeitos a mudanças acompanhando os fatos.

O conteúdo não constitui oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

O analista responsável pela elaboração do conteúdo declara, nos termos do artigo 17o da Instrução CVM nº 20/2021, que suas recomendações refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e são elaboradas de forma independente.

Declaração do(s) analista(s) de valores mobiliários (de investimento) envolvidos na elaboração deste relatório, nos termos da CVM nº 20/2021

1. O(s) analista(s) de investimento, ou de valores mobiliários, envolvido(s) na elaboração deste relatório (“Analistas de investimento”), declara(m) que as recomendações contidas neste refletem exclusivamente as suas opiniões pessoais sobre as companhias e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma,

. 2. O(s) Analista(s) de investimento podem see titulares de valores mobiliários objeto do presente relatório.

Os relatórios específicos são de uso exclusivo dos adquirentes e não podem ser reproduzidos ou distribuídos.

A reprodução indevida de relatórios ou trechos está sujeita a multa e demais punições cabíveis, de acordo com artigos 102 e seguintes da Lei 9.610/98.

Cada investidor deve desenvolver suas próprias análises e estratégias.


251 visualizações0 comentário

Комментарии

Оценка: 0 из 5 звезд.
Еще нет оценок

Добавить рейтинг
RECEBA
O MELHOR
CONTEÚDO DE
INVESTIMENTOS
NO SEU EMAIL

Obrigado(a)!

bottom of page